Arquivos de tags: Casamento

Casamento João e Suzane

7 nov

Sábado tive o prazer de testemunhar e participar da união de duas pessoas muito queridas: Suzane e João Paulo.

Conheço o João desde que me entendo por gente, as nossas famílias sempre passavam  as férias juntas e era muito divertido. Por isso, tenho um carinho enorme pela família dele (que é praticamente minha também)  e foi super emocionante poder presenciar esse momento e perceber que agora estamos vivendo uma outra fase.

A cerimônia religiosa aconteceu na Santa Margarida Maria na Lagoa, que por sinal estava linda!!! E a festa no Piraquê, clube que também me fez voltar no tempo.

E o resultado de música animada, amigos especiais e divertidos, comida e bebida boa não poderia ser diferente: sucesso garantido!! A festa foi muito alegre e não teve quem ficasse parado. Confesso que no dia seguinte eu nao conseguia pisar no chão, mas valeu a pena!! Dancei bastante!!

No meio da festa foram distribuídos balão em formato de coração e sapatilhas para as meninas descansarem os pés.

Balão e sapatilhas

A mesa de doces e o bolo, do Casal Garcia, além de lindos estavam muito gostosos!!! Hummm!!

Bolo Casal Garcia

A noiva estava linda!! Parecia uma bonequinha, toda delicada com um vestido tomara-que-caia super estiloso. Mas o mais lindo era o amor dos dois…um chamego só!

Os looks das convidadas estavam incríveis! E a irmã do noivo, minha irmazinha mais nova, também estava deslumbrante.

Madrinha e irmã do noivo

Eu usei um vestido, que parece saia e blusa, que tem detalhes em pedra e um decote nas costas. E fui toda trabalhada no olhão preto esfumaçado…rs

Que os noivos sejam muito felizes e curtam bastante a lua de mel!!!

bjs

Buque de ouro

24 out kika3

O casamento é um dia muito importante em nossas vidas e por isso queremos que as pessoas mais queridas estejam presentes, compartilhando este momento com a gente. Contudo, nem sempre isso é possível, pelo menos não fisicamente.

Eu, infelizmente, não terei a companhia do meu amado pai para me acompanhar até o altar e dançar comigo na festa e não há o que substitua isso. Mas, de qualquer maneira, gostaria de homenagea-lo nesta data tão especial.

Pensando nisso, comecei a pesquisar e achei uma forma, bem discreta, de fazer com que ele esteja comigo. Uma das formas de homenagear alguém que já morreu, que está em nosso coração, é colocando um relicário acoplado ao bouquet.

O relicário pode ser uma medalha, uma bolsinha, um pingente, ou qualquer objeto onde guardamos relíquias. E neste caso, as noivas podem optar por ter a foto dos entes especiais ou apenas o nome junto ao bouquet. Lindo, ne?!


Essas pessoas serão lembradas não apenas nesse dia mas para sempre. E com ou sem relicário elas estarão lá, vibrando e torcendo pela gente.


Mullet Dress

25 set

Oiii meninas,

Como vocês sabem, gosto de posts que falam de tendências e referências. Hoje é dia de falar do Mullet Dress. Vocês já conhecem? No primeiro momento, o Mullet Dress, modelo conhecido por ser curto na frente e com uma longa calda na parte de trás, pode parecer meio estranho, mas o fato é que está bombando no mundo todo. Como a moda desse ano é um revival moderno dos anos 80, o Mullet Dress também não podia ser diferente.

Os grandes nomes das grifes internacionais estão apostando nessa tendência!!! Não somente as atrizes e modelos estão usando e abusando dos modelitos lá fora, como também as noivas “modernas” e estilosas.

O Mullet Dress substitui o curto e o longo usado em casamentos, festas e looks de gala. É um modelo ousado e tem que ter estilo para usar!!! Olha quem já está dando o ar da graça com um Mullet Dress

Inspiração nos anos 80

#preferido

Inspiração da Dress to

 

Agora é a vez das noivas…

Ontem, a mulher do ator Matheus Solano, Paula Brum também escolheu um Mullet Dress para o grande dia do seu casamento. O que vocês acharam?

Também vão ser adeptas do Mullet Dress? ;)
bjs,

Não se preocupe. Nada vai dar certo

13 set

Eu não quis acreditar nessa frase quando me deparei com ela, há alguns dias.  Bati o pé, esperneei, levei pra a terapia  me recusando a aceitar que o que é ruim demais para ser verdade, acredite, muitas vezes é verdade!

Tudo começou num dia em que eu devo ter acordado sem o lobo esquerdo do cérebro. Estava eufórica pois teria o casamento de dois amigos queridos no sábado à tarde e à noite a formatura de uma amiga de infância. Nesse dia escolhi a minha roupa: uma divina saia-longa-de-cintura-alta.

Resolvi tudo com uma antecedência nunca antes imaginada e a minha produção era incrível. Eu ia estar linda e claro, chiquérima. Isso se a minha vida fosse um romance, claro. Mas só pra esclarecer, não é, ok?! Então, pode tirar o sorrisinho do rosto que lá vem lágrimas. E muitas.

Quando me vesti para ver como a produção ficaria, percebi que eu estava muito, muito arrumada com a tal divina saia-longa-de-cintura-alta. Por isso, resolvi que ia cortá-la e fazer uma saia godê mais curta. Hã?????? É. Eu sei. Fiquei maluca, pirei, cheirei spray de cabelo. Por que, raios, eu fiz isso? Alguém explica? Alguém?

Há uma semana do fatídico sábado fiz  prova das roupas no atelier, marquei meu cabelo e minha maquiagem, com uma “hair stylist”que viria me atender em casa. Fiquei horas pesquisando penteados e até aproveitei o gancho pra fazer escrever aqui sobre isso.

Há três dias do casamento. Experimentei a saia e uma blusa de seda nude que mandei fazer para usar junto e…SURPRESA! A cintura da saia ficou apertada, a cava da blusa estava gigante e o forro do decote virava pra fora. Eu estava parecendo uma criança obesa de cinco anos com uma roupa de bailarina e uma barriga redonda. Estranhíssimo. Só que mais que estranha, eu estava raivosa. Eu virei uma pequena bola de raiva. Como aquilo era possível??

Corri para rua, comprei sapatos, um novo vestido e ainda mandei apertar a peça inteira, que era um número maior,  em dois dias!

No sábado, por recomendação da profissional que faria meu cabelo, só o lavei com shampoo anti-resíduo. Eis que, ao meio-dia, recebo um telefonema da “hair stylist” dizendo que teve uma briga com alguém e estava muito abalada, portanto, não poderia me atender.

E lá estava eu, há duas horas do casamento, no meio na rua, com um cabelo que nem consigo definir. Eu parecia a filha da Vanessa da Mata com a Elba Ramalho nos anos 70.  E o pior: sem nenhuma esperança no futuro. Eu não tinha se quer um horário no salão.

Saí desesperada à procura de alguém que me atendesse em uma hora. Consegui o cabelo, eu mesma fiz o make e consegui chegar ao casamento. Obviamente atrasada. Perdi a cerimônia.

Claro, amaldiçoei as próximas vinte gerações das “profissionais” com quem tratei – nem vou entrar nesse mérito aqui.

E tirando as primeiras fotos, que eram fofas, o que me lembro dessa noite, em que parecia que “nada ia dar certo”, foi isso aqui:

Impossível dar mais certo que isso.

Fotos: Reprodução

Já curtiu a página do Blog OpenCloset no facebook?? Corre lá!

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 40 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: